Quem oferece um imóvel para aluguel está em busca de rentabilidade e também de segurança. A preocupação com a inadimplência ou com a ocorrência de danos no seu bem faz com que os proprietários incluam nos contratos formas de proteção contra esses riscos.

Por isso, quem está escolhendo uma casa ou apartamento para locar precisar ficar atento aos tipos de garantias para alugar um imóvel disponível no mercado. Sem elas, é praticamente impossível fechar qualquer aluguel.

Confira neste post as quatro principais formas de garantia locatícia e avalie qual delas é a mais adequada para você!

  1. Fiador

A garantia por meio de um fiador é uma das mais comuns e mais preferidas pelos proprietários. Ela prevê a inclusão no contrato de locação de uma terceira pessoa, que assumirá as despesas da locação se o locatário não o fizer.

Porém, nem todos os interessados na locação conseguem apresentar um fiador com o perfil exigido pelos proprietários. Geralmente, é preciso que esse terceiro envolvido na locação tenha renda três vezes maior que o valor do aluguel E ENCARGOS e que já seja proprietário de algum imóvel QUITADO.

Em contrapartida, a vantagem dessa modalidade é que ela não exige nenhuma despesa extra por parte do locatário.

  1. Seguro-fiança

Nessa garantia, o locatário contrata uma apólice de seguros tendo o proprietário do imóvel como beneficiário. Se houver inadimplência, o ressarcimento das despesas não pagas é feito por meio do pagamento do seguro.

Além do aluguel não pago, os proprietários podem exigir a inclusão de diferentes despesas na apólice do seguro-fiança, como taxa de condomínio, IPTU e até mesmo gastos com ação de despejo, se necessário.

Embora represente um custo extra para o inquilino, trata-se de uma boa alternativa quando não se dispõe de fiador ou de capital para caução. O valor do seguro (geralmente de dois meses de aluguel, dependendo da análise de risco do cadastro) pode ser diluído ao longo do contrato de locação, parcelado em até 11 vezes ou pagamento à vista com desconto.

  1. Título de capitalização

Nessa garantia, o inquilino adquire um título de capitalização de um valor previamente combinado. No caso de inadimplência, o proprietário do imóvel pode resgatar o valor da dívida.

Se não houver necessidade da garantia, o próprio inquilino faz o resgate ao final do contrato. Ainda pode participar de sorteios, como em todo o título de capitalização. Porém, o valor geralmente exigido pelos proprietários para aceitar essa garantia é alto (á partir de 12 vezes o valor do aluguel + encargos).

  1. Caução hipotecária:

A garantia da locação será dada através da hipoteca de um imóvel, o qual ficará vinculado ao contrato de locação e poderá ser penhorado caso ocorra inadimplência por parte do inquilino, sendo que o mesmo deverá apresentar um imóvel quitado e com escritura pública para que a hipoteca seja realizada diretamente no cartório e registrada na matrícula do imóvel dado em garantia.

Na rescisão do contrato e não havendo débitos relativos a locação, será emitida uma carta para a baixa da hipoteca no cartório de registro de imóveis.

 

Agora que você já conhece os tipos de garantias para alugar um imóvel, avalie qual deles é mais adequado para o seu perfil e negocie com o proprietário da casa ou apartamento que deseja locar.

E que tal entrar em contato conosco e contar com o suporte de uma empresa com mais de 45 anos de experiência no mercado imobiliário para realizar sua locação?