Quem nunca ouviu a máxima de que o aluguel é um dinheiro jogado fora? Essa crença ajuda a alimentar o grande sonho das famílias brasileiras, que é a compra da casa própria.

Muitas vezes, esse desejo é tão forte que vira uma obsessão, levando as pessoas a criarem grandes planejamentos financeiros para realizá-lo. Mas será que o esforço vale realmente a pena? Compensa financiar um apartamento e assumir uma dívida que pode lhe acompanhar por décadas para sair do aluguel?

É sobre isso que trata este post. Confira prós e contras do aluguel e do financiamento e avalie o que é mais adequado para o seu caso.

Valor do aluguel

Primeiramente, vamos falar um pouco sobre o “dinheiro jogado fora”, como se costuma batizar o que é pago pelo aluguel. A lógica desse argumento é que a locação não gera patrimônio ao locatário. Logo, este “perde” o valor que paga de aluguel mensalmente.

É possível contrapor essa colocação lembrando que, se você está usufruindo do imóvel, não se pode dizer que se trata de um recurso desperdiçado. Além disso, quem compra um imóvel por meio de um financiamento também deve considerar o destino do seu dinheiro.

De todo o montante pago ao banco financiador, apenas 25 a 30% destina-se à amortização da dívida. O restante são juros, tarifas ou encargos. Ou seja, se você paga R$ 2 mil ao mês por um financiamento, apenas R$ 500 a R$ 600 são agregados ao seu patrimônio. Os R$ 1.400 restantes ficam com o banco.

Para entender exatamente como funciona o financiamento imobiliário, você pode utilizar os simuladores disponíveis nos sites dos bancos financiadores.

O que considerar na hora da decisão

Condições financeiras

Ao optar entre o aluguel e o financiamento, você precisa ponderar sua situação financeira atual. O aluguel é um contrato mais curto e flexível, já os financiamentos são compromissos de longo prazo e com valores mais representativos.

Se suas finanças não se encontram em um momento de instabilidade, talvez o aluguel seja uma opção mais segura.

Estabilidade

Também é importante ponderar sua estabilidade no médio e longo prazo. Um financiamento imobiliário é um compromisso que vai lhe acompanhar por anos ou até mesmo décadas. Você precisa estar seguro quanto à manutenção e à evolução da sua renda para não correr riscos no futuro.

Entrada e FGTS

No aluguel, não é necessário o aporte inicial de capital, ao passo que, no financiamento, é preciso que você disponha de determinado volume de recursos. Os bancos costumam financiar até 80% do valor do imóvel. Logo, você precisa dispor de pelo menos 20% para a entrada.

Mas você também pode utilizar seu saldo no Fundo de Garantia do tempo de Serviço (FGTS) para esse pagamento inicial.

Esses são alguns dos aspectos que devem ser avaliados na hora de se decidir entre alugar ou financiar um apartamento. Definir qual a melhor opção depende de seus objetivos e condições financeiras. O importante é simular cada cenário para não se surpreender no futuro.

Caso você opte pela locação, entre em contato conosco. Podemos ajudá-lo a fechar o melhor negócio com os melhores imóveis de Florianópolis.