Na hora de renovar o lar, a pintura das paredes desempenha um papel fundamental. Ela traz cor para a decoração, deixa os recintos mais dinâmicos e alegres, amplia os espaços, maximiza a iluminação e dá um toque de personalidade a cada canto do imóvel. Contudo, como são diferentes tipos de tintas, nem sempre é fácil saber qual é o mais indicado para cada ambiente e, principalmente, cada superfície.

Pensando nisso, reunimos as principais opções neste post e falaremos um pouco mais delas e as respectivas finalidades que possuem. Assim, você evita enganos, faz um planejamento adequado da quantidade de galões por área e, é claro, otimiza a mudança da aparência dos cômodos, deixando-os com a sua cara. Acompanhe!

1. Tinta látex PVA

A tinta látex PVA é o formato mais usado para a pintura das paredes de ambientes internos, como quartos, salas, corredores, home office etc. Em primeiro lugar, porque é solúvel em água — o que aumenta o rendimento dela. Em segundo, porque proporciona um acabamento uniforme e fosco.

Contudo, essa opção não tem uma boa resistência às intempéries, como os raios solares e as chuvas. Por esse motivo, não deve ser aplicada em paredes externas, caso contrário, as superfícies podem perder a cor, ficar desgastadas ou com manchas (principalmente por não ser lavável).

2. Tinta acrílica

Outro dos tipos de tintas que podem ser usadas no seu lar é a acrílica. Afinal, além de servir para a área interna do imóvel, ela pode ser aplicada nas paredes externas. A razão disso é que a fórmula desse produto o torna impermeável, resistente à abrasão de agentes químicos e da radiação solar, e ainda o favorece com uma excelente durabilidade.

Fora isso, a cor não “amarela” nem sofre modificações por conta da exposição à sujeira — característica fundamental para evitar o aparecimento de manchas. Outro ponto importante é que você encontra três modelos de tinta acrílica para diferentes acabamentos: acetinado, semibrilho e fosco.

Ah, e tem mais: as grandes marcas de tintas do mercado contam com uma versão extra dela: a lavável, que nada mais é do que o mesmo produto, porém, com uma película protetora que permite uma limpeza mais rápida e prática. Basta somente um pano de microfibra úmido e pronto: você remove manchas e sujeiras sem esforço!

3. Tinta óleo

Já a tinta óleo — que tem como composição um mix de óleo com pigmentos de cor — é ideal para ser aplicada sobre superfícies de madeira e metal, como portões, janelas, portas, cercas, painéis dos cômodos ou ambientes externos da sua casa. Dessa forma, impede a ação de agentes externos — como maresia, chuva e sol — sobre esses materiais que requerem mais cuidado. Para reforçar a proteção, vale a pena dar uma demão de verniz!

Por conta disso, muitas pessoas se perguntam se é possível revestir paredes com ela. Se você também compartilha dessa dúvida, saiba que a resposta é sim. Contudo, o rendimento dela é inferior às alternativas anteriores e o resultado final demora mais a aparecer — já que a secagem é mais demorada. Além disso, a diluição da tinta óleo ocorre com solvente, não com água.

4. Tinta epóxi

Por sua vez, a tinta epóxi é a pedida perfeita para quando você quer renovar o visual dos revestimentos que já estão desgastados, como azulejos, porcelanatos e cerâmicas, mas não quer ter muitos gastos com reforma ou estresse com um quebra-quebra dentro do lar que pode atrapalhar completamente a sua rotina.

Isso porque ela funciona como uma camada que reveste esses diferentes materiais (estejam eles nos pisos ou nas paredes), e não apenas é impermeável como também resistente à abrasão.

Não é à toa que ela é tão usada em áreas molhadas (banheiro, cozinha e área de serviço). Para completar, a tinta epóxi é fácil de higienizar — visto que não requer produtos específicos — e conta com uma excelente cartela de cores.

Agora que você já conhece os tipos de tintas, fique atento na hora de escolher a versão correta para o que você deseja. Seu lar agradece!

Gostou deste post? Para mais conteúdos como este, curta nossa página no Facebook e nos siga no Instagram e no Twitter!